Palavra do Ouvidor

Antonio Marcos da Silva Reis

Ouvidor Popular Comunitário Evangélico do Brasil (OPCEB)

Com curso técnico em Administração, é o ouvidor popular comunitário evangélico do Brasil há três anos. Também conhecido como ouvidor popular do subúrbio, trabalha identificando e encaminhando as queixas da população de bairros como Paripe, Tubarão, entre outros.

Como começou esse trabalho da OPCEB?

Marcos Reis: Começamos a fazer parcerias com os poderes públicos, para poder levar as carências da população até eles. Ouvimos essas pessoas, e é feito uma triagem para saber quais as demandas, e encaminhamos aos respectivos órgãos.
Vale ressaltar que não é uma ouvidoria evangélica, nós somos ecumênicos. O nome “evangélico” foi porque a ouvidoria começou com um grupo de pastores. Eu era presidente do conselho onde tinham mais de 60, e achei mais interessante colocar ouvidoria popular comunitária. A OPCEB não está direcionada a uma religião, muito pelo contrário, atendemos a todos os credos.

Como é a estrutura do atendimento?

MR: O atendimento é realizado de segunda a sexta das 08 às 12h e das 14 às 17h, presencialmente, na rua Dr. Eduardo Dotto, nº 74, Térreo, Paripe - Tubarão, ou pelo telefone, (71)3491-8887. No balcão do Tribunal de Justiça, somente pela manhã. Todas as demandas registradas são encaminhadas aos seus respectivos órgãos, além do atendimento oferecido no local por advogados que nos apóiam.

Quais são as principais demandas registradas pela Ouvidoria Popular?

MR: Casos de pensão alimentícia e algumas situações de abuso de poder de chefes das empresas.

Existe trabalho integrado de vocês com setores dos governos municipal e estadual? E com outras ouvidorias?

MR: Sim. Ministério Público, Defensoria Pública, Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). E as ouvidorias do Estado e Município, como também há um apoio grande da Câmara Municipal. Além do trabalho no balcão de justiça do TJ, o balcão da cidadania, nós temos também o Grupo de Apoio à Prevenção à AIDS da Bahia (GAPA). E dentro do GAPA, eles têm parceria do Centro de Referência dos Direitos Humanos de Salvador.
Nós fazemos muitas ações públicas. Convidamos os órgãos para ouvir as demandas da comunidade, para poder ajudar em cada setor correspondente à sua área.

Além do atendimento, que outras atividades vocês desempenham?

MR: Atendemos as pessoas carentes, realizamos teste de DNA gratuito, atendimento hospitalar e marcação de consulta. Nós damos esse suporte e vários outros tipos de apoio. Estamos ampliando e buscando auxílio à criança e ao adolescente, em defesa da mulher e dos idosos, ampliando todo nosso campo de atividade.

Existe alguma diferença entre esse atendimento e o oferecido em outras ouvidorias?

MR: Não. O atendimento é feito para qualquer cidadão, não somos limitados ao subúrbio. Estamos abertos a todas as comunidades onde existe um cidadão carente dos seus direitos ou precisando do nosso apoio.

A Ouvidoria Popular do Subúrbio (OPCEB) atende de segunda a sexta das 08 às 12h e das 14 às 17h, presencialmente, na rua Dr. Eduardo Dotto, nº 74, Térreo, Paripe – Tubarão. Ou pelo telefone (71)3491-8887.
(Entrevista feita por Flávia Porto, estagiária de Jornalismo da Ouvidoria da Câmara em 29.11.2013)

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins

Câmara

Presidência

Marcas e Manual

Agenda

Centro de Cultura

Biblioteca

Gestão de qualidade

Transparência

Concurso público

Processos Licitatórios

Frequencia de vereadores

Despesas viagem

Prestação de contas

Leis Municipais